fbpx

Sobre Nós

Rui Almeida

Diretor executivo

“trabalhar a matéria-prima de que a memória é feita”

Cai o muro de Berlim e o fim da Guerra Fria é anunciado.
1989 foi o melhor ano para nascer: Ter o privilégio de saber dominar um smartphone e de ao mesmo tempo ter usado uma disquete. Nasci e cresci junto da tecnologia e acompanhei de perto a evolução da mesma.
O meu gosto pela informática revelou-se bastante cedo e foi algo que sempre me destacou dos meus colegas. Através dessa área pude desenvolver capacidades e obter rendimentos que me permitiram investir em material.
Aos 16 anos, por curiosidade, comprei a minha primeira câmera fotográfica digital, comecei a dar os primeiros passos em edições muito básicas e a desenvolver um gosto especial pela imagem.
Até meados de 2019, este “gosto” nunca passou de um hobbie e inevitavelmente resolvi deixar o conforto da área da informática e entrar nesta aventura da multimédia pois senti que estava na hora de fazer valer a experiência e os investimentos de tempo e dinheiro que tinham sido feitos durante mais de 10 anos.
Passamos demasiado tempo à espera das condições ideais para fazer algo. É fundamental abrirmos a porta a novos desafios, com ou sem condições ideais. Esses desafios fazem-nos sempre crescer, são um óptimo combustível para a vida e, independentemente do desfecho dos mesmos, a jornada é sempre enriquecedora.

Sempre senti um desejo muito forte de poder trabalhar a matéria prima de que a memória é feita.
A fotografia, o vídeo e o som são as únicas formas que temos de reviver momentos passados e de os tornar verdadeiramente inesquecíveis.

Gonçalo Sabença

diretor criativo

“pegar nas ideias antes que passem o prazo de validade”

Desde pequeno que fico frustrado com tudo o que faço.
Uma frustração positiva, acredito. Tal como não podia haver um LEGO de uma cor ligeiramente diferente quando era miúdo, não podia haver uma vírgula mal colocada num trabalho da faculdade.
Nascido e crescido durante o boom da informação e da internet, desde início percebi que cada vez mais a diferenciação é importante. Já todos temos acesso a toda a informação do mundo.
O que importa agora é o que fazemos com essa informação. Fazer apenas “muito bem” não chega, porque vai sempre haver alguém a fazer mais e melhor. Eu sempre fiz por ser essa pessoa, a que faz mais e melhor do que as outras.
A comunicação é uma mistura harmoniosa da arte, das ciências e das línguas. Licenciado em Comunicação, com um background nas Ciências e Tecnologias e sempre lado a lado com a informática desde criança, percebo agora o meu percurso sempre se moldou à minha frente, quase sem eu saber, e que a Comunicação era o meu mundo.
Nem sempre sei qual é o destino certo nem o caminho até ele, mas é garantido que vou descobrir e que não vou descansar entretanto.

Há que pegar nas ideias antes que passem o prazo de validade.
As ideias aparecem e desaparecem à velocidade da luz, se não as agarrarmos. E que forma mais bonita existe de explorar uma ideia do que através de formas e cores, de imagens e sons?

UMA DUPLA IMPROVAVELMENTE ÓBVIA

8 anos.
É o que nos separa. E é praticamente a única coisa.

Primos criados como irmãos, vivemos mais de 15 anos debaixo do mesmo teto.
A influência ou genética tornou-nos muito semelhantes e, depois de muitos anos e por centenas de variáveis, o tempo juntou-nos nesta aventura.
De um lado a experiência profissional, o mindset empresarial e a capacidade de gestão e do outro a formação profissional, a criatividade e o sentido estético.
Mas em ambos os casos uma enorme paixão pelo projeto e pela forma como o nosso trabalho pode mudar vidas e rumos.

Mais do que clientes queremos criar relações de parceria e amizade que juntem passado, presente e futuro na mesma equação.